Electronic Arts e a arte de “farmar” ódio

Não basta, para a Electronic Arts, contaminar o mercado com a “síndrome de EA”. Não...