A partir de 1989, o mercado de jogos, começou a borbulhar com um novo segmento de informação, além dos jogos e marketing em si. Foi o início da publicação editorial de revistas de jogos eletrônicos.

Existiam revistas para todos os gostos: Revisões, prévias, concursos, dicas, cheats, almanaques, livros de recordes, revistas que davam demos, jogos pequenos, jogos licenciados, revistas que copiavam de revistas, revistas que morreram antes de 1 ano, revistas que existem até hoje.

Com a massificação da internet no mundo, as revistas foram perdendo espaço, e embora existam meia dúzia de títulos nas bancas, não possuem mais o acabamento perfeito das revistas portuguesas, nem mais aqueles detonados de primeira linha anotados pelos pequenos jogadores das editoras. Das novidades que as revistas em papel trazem atualmente, a grande maioria já foram desvendadas pelos sites de jogos da internet. (hei!)

Para adaptar uma publicação de qualidade com o ritmo de consumo da informação dos jogadores e entusiastas, um novo modelo de negócio foi adotado e com muito mais espaço para exploração de mercado que as revistas em papel: São as revistas digitais.

As revistas digitais não são uma idéia recente, sua produção massiva começou em formatos RTF e PDF por volta de 2003, porém, com pouquíssima adesão e sem convencer as grandes empresas de que seria um canal de comunicação interessante para suas ações de marketing, porém, atualmente a história é bem diferente. Existem grandes nomes do mercado de jogos (e em diversos outros mercados, como a Álom, que atua na gestão empresarial nos ramos de academia, odontologia e estética) apostando na distribuição da informação através de revistas digitais, normalmente em formatos PDF e leitores online em Flash, conectados com outras ações de comunicação online e interatividade (como vídeos, enquetes e concursos online, diretamente de uma página da revista em PDF, por exemplo).

O maior nome da comunicação digital com revista online sobre jogos, disparado, é a inglesa MCV. Criada em 2007, a revista digital da MCV é distribuída online gratuitamente e é a única empresa de destaque a nível mundial que trata sobre jogos a nível de negócio, e não somente na visão do jogador. Ela também distribui versões impressas e envia para o mundo inteiro.

uma edição da MCV

A GamerZines é o melhor exemplo sobre “entrar de cabeça”, quando o assunto é revista digital. Eles criam edições para tudo que existe no mundo dos jogos, e sempre trazem informações novas para seus leitores. Eles distribuem a PCGZine, focado em jogos para PC, P3Zine, focado no Playstation 3, PlayZine, que seria a versão genérica de todos, 360Zine, focado no Xbox 360 e MMOZine, focado a jogos MMORPG. Além desses, eles costumam também lançar edições dedicadas a títulos que estão em destaque, como Splinter Cell: Conviction, Split/Second e UFC Undisputed. Infelizmente, a GamerZines é a única editora que protege suas revistas contra exportação, impressão e outros recursos digitais.

Edição da PlayZine

Vida Playstation é uma publicação gratuita, distribuída tanto em formato PDF quanto em leitores online, voltada a informações sobre o mundo Playstation, abordando não somente jogos, como também consoles, acessórios e serviços. A qualidade do conteúdo, edição e diagramação da revista são surpreendentes.

capa da Vida Playstation

A revista Nintendo Blast fala tudo sobre a Nintendo, e não é pouca coisa. Reviews, previews, comparações, jogos novos, antigos, relançamentos, consoles, curiosidades e tudo mais que uma revista dedicada poderia oferecer. Distribuída gratuitamente em formato PDF e leitor online.

miolo da Nintendo Blast

A Revista Arkade é a mais sóbria de todas as revistas, adota um formato bastante próximo das antigas revistas em papel e traz todas as informações que um jogador da velha guarda espera. Lançamentos, detonados, reviews, previews, clássicos, tudo bem diagramado e com redação impecável. Distribuída gratuitamente em formato PDF e leitor online.

página da Revista Arkade

Outros destaques: