Este foi (e está sendo) um ano polêmico para a EA Games. Lançamentos ao acaso, falta de DLCs em plataformas, brigas com a Steam, remoção de títulos da mesma e fundação de um novo sistema de plataforma online, o Origin.

Como se já não bastasse a Síndrome de EA (ver mais aqui), estamos nos deparando com um problema sério de infraestrutura do que a empresa diz ser o futuro concorrente da Steam. Estes últimos meses do ano estão trazendo bárbaros lançamentos de inúmeras empresas desenvolvedoras de jogos eletronicos (Batman: Arkham City pela Rocksteady, Assassin’s Creed: Revelations pela Ubisoft, Modern Warfare 3 pela Infinity Ward e Battlefield 3 pela EA/Dice). Claro que existem outros títulos também famosos, mas nada que prometa tanto quanto esses 4.

Vamos entrar agora nos jogos anuais de futebol (PES/Fifa), um lançado pela Konami e outro também pela EA agora no final da Setembro. Fifa foi lançado a pouco e teve grande aceitação do público, principalmente por parte dos já jogadores do ano passado e retrasado. Mas ai é que entra o Origin e a falta de competência da EA.

Vou me prender aos problemas do Fifa e do Origin, pois já tem 3 semanas que o game foi lançado e ainda existem jogadores por ai (inclusive eu) que não conseguiram jogar. Além do jogo ser portado de consoles para PC, ele costuma nem sequer abrir se o controle que você tiver não for de Xbox 360 ou Logitech licenciado. Dá para acreditar? Além disso, quem possui controle original de Xbox e o jogo, corre o risco de o jogo nem abrir, pois existe um arquivo danificado que se salva automaticamente em “Meus Documentos” no Windows, mas depois de usar métodos “McGyver” para abrir o jogo, o Origin costuma não conectar e o jogo fica lá, aberto mas travado esperando sincronização.

É de ficar muito bravo com um desrespeito destes, comprar um jogo original, ele não funcionar e não ter uma atualização sequer em 2 semanas. Se isso fosse na Steam, será que aconteceria? Bem, sabendo que os responsáveis pelos Patchs são os programadores da EA, é provável que ele também demorasse para aparecer, mas as chances seriam menores, além de irritar menos os compradores que pelo menos não teriam problemas de conexão.

Battlefield 3 está prestes a ser lançado e teve seu beta baseado no Browser para que as conexões com os servidores pudessem ser feitas. A EA está caminhando para o desprezo dos seus clientes ao longo destes meses de 2010 e 2011, e nós, jogadores, estamos vendo grandes franquias serem estragadas por seus lançamentos anuais e mal elaborados. Talvez o que o mercado de jogos precise seja de empresas que dêem ao público aquilo que o público espera, pois dá para contar nos dedos quantas franquias se manteram descentes lançando suas continuações e DLCs. Tentativas de inovações frustradas e que acabam estragando todo um nome. Falta de preocupação com a funcionalidade do software em questão também deixa más impressões e pode manchar nome de franquias e empresas. .

O Origin, pelo que parece, é mais uma tentativa, provavelmente frustrada, da EA em reter atenção dos usuários da Steam. E talvez seja só o começo de muitos problemas para nós gamers. Só resta torcer para que a EA acorde e desça desse salto alto para que possa ter, pelo menos, metade da qualidade que tinha há alguns anos atrás.