Apresentação

Se você acompanha o mercado de games atual, mesmo que você não goste, com certeza já é bem familiarizado com o estilo Souls Like. Estilo do qual foi integrado ao mercado pela From Software com o lançamento do jogo Demon’s Souls para Playstation 3. Mesmo com o grande sucesso de Demon’s Souls, foi em sua sequência espiritual e primeiro jogo da franquia Dark Souls que esse gênero se tornou realmente popular. Dark Souls simplesmente pegou tudo que tinha de bom em seu antecessor e melhorou, evoluiu, refinou e ficou um jogo fantástico. Depois disso muitos outros jogos seguindo essa receita foram criados, aproveitando o embalo do sucesso que Dark Souls teve. Claro que com todo esse sucesso duas continuações vieram, mas infelizmente não chegaram nem perto de resgatarem tudo aquilo que foi feito no primeiro jogo em termos de qualidade de ambientação e gameplay.

Olha o fantasminha peladinho moribundo aí…

Com o passar dos anos, vários outros jogos usando essa fórmula continuaram sendo lançados, e até jogos que não usam essa tal fórmula são chamados de Souls Like simplesmente por usar um ou outro recurso que os jogos da franquia Souls possuía. Simplificando, se algum jogo da franquia DOOM por exemplo, tiver algum ponto no mapa onde ele encosta em uma runa, recupera sua vida, mas em troca disso todos os seus inimigos são revividos, ele automaticamente deixa de ser um jogo de tiro em FPS para ser um “Souls Like de tiro em FPS”. A fórmula Souls Like de tão certo que foi muito explorada, saturada e em um certo momento tudo que saía relacionado à esse estilo em sua maioria não passava de mais do mesmo. Mas isso até agora.

Olhando assim parece se tratar de um jogo da franquia Souls. mas teria Mortal Shell algo novo à oferecer?

Mortal Shell é um jogo criado por Cold Symmetry e publicado pela Playstack e também é um jogo que segue esse estilo tão saturado. Mas esses carinhas souberam fazer sua lição de casa e, mesmo sendo um jogo indie, conseguiram refinar, melhorar e trazer não só uma cara nova pro estilo, como também entregar um produto de extrema qualidade.

Sistema e Jogabilidade

Como dito antes, Mortal Shell traz cara nova para esse estilo são saturado que é o Souls Like. Mas aí os mais céticos perguntam: “Como uma empresa indie conseguiu criar um jogo Souls melhor que os criadores dessa tão amada franquia?” A resposta é bem simples. Eles simplesmente decidiram criar algo novo e não seguir a mesma fórmula simplesmente para não se mexer em time que estava ganhando afim de ganhar mais uns trocadinhos. Percebe-se que esses caras fizeram a coisa com total paixão e o resultado é surpreendente. Mas aí fica outra pergunta: “Mas o que Mortal Shell tem de tão diferente?” E a resposta pra isso é quase nada e ao mesmo tempo quase tudo. Claro que nesse ponto você não entendeu nada e sendo assim vamos para uma explicação mais detalhada.

O fantasminha e uma das estátuas guardiãs das armas sagradas…

Mortal Shell começa como todos os jogos da franquia Souls. Aqui você é um tipo de fantasma moribundo que aparece no meio do nada (como sempre um no meio do nada bem feio) e precisa seguir seu caminho sabe-se lá pra onde e muito menos o porquê. Essa parte do moribundo também é um tutorial que vai te ensinar as regras básicas do jogo. E é aí que o jogo já começa brilhar. Aqui você tem ataque leve, ataque pesado, esquiva, uma barra de vigor que se esvazia à cada ação física feita pelo personagem, um sistema de usar itens e usa uma espada grande carregada apoiada nos ombros. Até aí nada demais. Mas onde deveria ter um escudo como de costume tem simplesmente uma técnica de endurecer o corpo como se fosse pedra. Aí você diz: “Tá… então você endurece e é um escudo. Nada demais”. Mas aí é que tá. Você pode endurecer o seu corpo durante seus ataques quando perceber que um inimigo irá te atacar. O endurecimento não pode ser usado à todo instante e é preciso esperar alguns segundos para poder reutilizar essa habilidade. Quando um inimigo dá um ataque em seu corpo endurecido ele recebe um tipo de recuo, onde você pode aproveitar para continuar um combo ou sair de perto para recuperar sua vigor e por aí vai. Explicando assim parece simples e também parece ser uma coisa que não agrega tanto ao jogo. Mas quando você joga, pega o esquema de endurecimento e passa à estudar os movimentos de seus inimigos, vai perceber o quão maravilhoso é essa ideia e o quanto ele agrega não só à formas diferentes de se abordar seus oponentes, como também toda a estratégia que esse sistema adiciona. E não para por aí. Em Mortal Shell também existe uma outra barra de energia que é usado para habilidades especiais que você adquire evoluindo seu personagem e também suas armas durante o jogo.

Fique atento, pois alguns inimigos especiais também podem endurecer seus respectivos corpos.

Se já não bastasse isso, temos também um sistema bem diferente de classes. Como dito antes, você é um fantasma moribundo que não tem classe alguma. mas ao progredir no jogo você vai encontrando corpos de guerreiros desconhecidos que não conseguiram completar seus objetivos em vida, e com isso usa esses corpos como cascas para poder enfrentar o que o futuro lhe reserva. Conforma vai progredindo com essas cascas, com a ajuda de uma dona toda misteriosa, você vai recuperando suas memórias e com isso desenvolvendo certas habilidades. Cada uma dessas cascas possuem habilidades diferentes tanto passivas quanto ativas e, em certos momentos, é preciso trocar de casca para que seja possível passar certos desafios de forma menos punitiva. E mais uma coisinha. Quando se morre aqui não é algo definitivo. Você simplesmente é jogado para fora de sua casca e tem a possibilidade de retornar para ela. Feito isso, sua saúde é recuperada 100%. Mas é preciso tomar muito cuidado, pois quando fora de sua casca, sua agilidade é muito alta mas um único golpe pode te matar de vez. Após voltar para o seu corpo, caso morra mais uma vez é definitivo. Nesse caso um vestígio de sua casca vai ficar onde você morreu com todo o seu dinheirinho espiritual e é necessário ir até o local para recuperar o mesmo. Caso morra no caminho tudo é perdido definitivamente. Caso você beba uma gororoba com a dona misteriosa a sua ressurreição é recuperada. É o mesmo efeito de descansar da fogueira na franquia Souls.

A dona misteriosa que te ajuda não só à evoluir suas cascas, como também à descansar e se recuperar.

As armas aqui também merece destaque. Ao longo do jogo você vai encontrando estátuas que empunham um certo tipo de arma. Mas não é só ir pegando a arma na estátua e pronto. Elas são armas sagradas e guardadas por um tipo de guardião e é preciso enfrentá-lo e vencê-lo para ter a honra de empunhar tal arma. Com cada uma das classes os movimentos das armas são os mesmos. Mas a forma que cada classe usa essa arma tem diferenças baseadas no pelo, uso de vigor e velocidade. E se aprofundando mais ainda nessas armas, elas podem ser evoluídas com itens específicos que aumentam o seu dano e também concedem movimentos e ataques especiais. Ainda se aprofundando mais na parte de armas, em Mortal Shell muitas armas que jogos da franquia Souls por exemplo não deram a mínima atenção, como armas que atiram projéteis de longa distância, aqui são muito bem aplicadas e seu uso extremamente importante. Outro destaque vai para um artefato usado para bloquear ataques. Esse artefato custa uma barra de especiais de arma e assim como o endurecimento do corpo e seu uso não pode ser à todo instante. É preciso usar em situações de extrema necessidade.

É preciso saber fazer um bom uso de cada uma de suas cascas para facilitar sua progressão no jogo.

E não podemos deixar de mencionar os itens. Assim como em qualquer outro jogo de RPG temos uma infinidade de itens que são usados para todos os tipos de situações que variam desde recuperar sua vida ou até te conceder um dinheirinho espiritual. Mas a diferença aqui é que quanto mais se usa um item maior se torna a sua familiaridade com o ele e assim a cada uso se tem um bonus adicional. Outra funcionalidade bem interessante é que quando se pega um item o mesmo não tem uma descrição de seu efeito. é preciso usá-los para saber o efeito que cada um causa e em alguns casos uma única vez não é o suficiente, fazendo com que o item tenha que ser usado várias vezes até ter conhecimento do seu efeito. E pra ajudar esses itens são bem raros e é preciso explorar os mapas para encontrá-los. A dica aqui é que em certos casos, quando os itens são plantas ou cogumelos, depois de um certo tempo eles crescem novamente e você pode coletá-los de novo.

Ao utilizar várias vezes o mesmo item vai se aumentando sua familiaridade com ele, aumentando seus benefícios.

Os inimigos logo de cara não são tão diferentes aos que vemos em outros jogos do estilo. Pelo menos não no começo. Conforme vamos nos adentrando ao mundo do jogo percebemos que o lugar é repleto de bizarrices dos mais variados possíveis. São criaturas totalmente grotescas que conseguem ir além das bizarrices que os outros jogos nesse estilo tiveram à nos mostrar. E os combates com os chefes são um show à parte. O jogo tem uma dificuldade muito elevada como já era de se esperar. Quando se enfrenta um chefe, a estratégia usada entre desviar de seus ataques, atacar, endurecer e bloquear é extremamente interessante e emocionante. Seu cérebro precisa funcionar à mil por hora durante os combates que acabam sendo bem rápidos comparados com outros jogos desse estilo. Só jogando mesmo para sentir.

Os combates contra chefes são com toda certeza memoráveis…

O level Design do jogo é outro destaque que merece ser mencionado. De começo você pode achar os mapas longos demais e sua progressão meio lenta. E sim, você está certo. mas ao explorar cada buraco das fases vai perceber que de certa forma foi tudo bem pensado. Não é o melhor level design do planeta mas com certeza cumpre muito bem o seu papel. Em cada cenário é possível seguir vários caminhos e ir para vários locais bem diferenciados e em muitos casos, se deparar com cenários macabros e maravilhosos que passam um clima perfeito para o jogo.

Quanto mais se explora mais locais diferenciados você encontra. A exploração aqui é extremamente relevante e importante. Então certifique-se de procurar em cada buraco que achar.

Na minha humilde opinião o único defeito que o jogo apresentou foi o fato de ser Single Player e o mesmo não ter um sistema de pausar o jogo. Várias vezes acabei morrendo de bobeira porque tive que cuidar de certos assuntos urgentes na vida real e quando voltei meu personagem já havia falecido.

Considerações finais

Embora o jogo tenha exatamente a mesma cara de um jogo da franquia Souls, em sua fórmula ele consegue renovar tudo que já vimos e trazer uma experiência de extrema qualidade. Fazia tempos que eu não pegava um jogo Souls Like que me desse tanta satisfação em jogar. Com certeza continuarei jogando por um bom tempo e espero mesmo que Mortal Shell tenha uma continuação e até mesmo que esses caras façam mais e mais jogos do tipo. Com certeza estão de parabéns.