Apresentação

Code Vein é um jogo criado pela Bandai Namco Studios e lançado para PlayStation 4, Xbox One e Microsoft Windows, que aproveita o sucesso atual dos jogos Souls Like e pega carona nessa linhagem, conseguindo entregar não o melhor, mas um bom jogo de RPG nesse estilo.

Os gráficos do jogo são cartoonizados, seguindo uma temática de anime japonês que lembra muito os gráficos dos jogos da franquia Tales Of ou God Eater. Os cenários são muito bem construídos graficamente e possui várias paisagens de tirar o fôlego. As animações de personagens, monstros e chefes estão bem feitas e a trilha sonora também é algo à se mencionar, pois ela consegue passar emoção e adrenalina na medida certa para o estilo de jogo.



Code Vein possui vários cenários maravilhosos. E qualquer semelhança com Anor Londo pode não ser mera coincidência…

Code Vein conta também com uma criação de personagens bem robusta. Aqui existe várias opções de tudo que se possa imaginar para se criar um personagem que seja totalmente do seu agrado. São tantas as variações que se você gosta de customizar personagens, vai passar no mínimo duas horas brincando até finalmente criar o seu. E o mais legal é que, se caso depois de algum tempo jogando você se arrependa de algo que tenha feito no personagem ou queira mudar, o jogo ainda te dá a opção de fazer várias alterações mesmo depois do jogo já ter começado. E não é preciso algum item especial ou pagar uma alta quantia em dinheiro para um barbeiro. Basta ir até o espelho localizado em sua base e mudar o visual como e quando bem desejar.

A criação de personagens bem robusta…

A história de Code Vein é Situada num futuro próximo, onde o mundo cai em uma misteriosa calamidade conhecida como o Grande Colapso, com a humanidade revivendo seus mortos e os transformando em uma força de combate vampírica conhecida como Aparições, para combater monstros que surgiram em todo o mundo. Trazido de volta à vida quando um organismo parasitário está ligado ao coração, uma Aparição ressuscita à custa de memórias aleatórias e só pode morrer definitivamente se seu coração for destruído. As Aparições precisam se alimentar de sangue humano ou caso contrário, entram em frenesi e se transformam em bestas poderosas que acabam sendo caçadas por outras Aparições ainda conscientes.

Como Aparição, você deve usar seus poderes vampíricos para sobreviver em um mundo extremamente cruel.

Mas o foco da história de Code Vein não é só baseada em seu mundo caótico e sim em seus personagens. Embora o mundo ainda faça bastante diferença na história, é nos personagens que a história vai se basear na grande maioria do tempo, mostrando suas difíceis vidas e sacrifícios para poder sobreviver a cada dia. A relação entre personagens é muito bem feita e tudo muito bem interligado, possuindo vários altos e baixos que com certeza vai fazer com que o jogador se emocione em várias partes onde a trama chega ao seu ápice.

Embora focada mais nos personagens que em seu mundo caótico, Code Vein entrega uma história interessante e cativante.

Sistema e jogabilidade

Como dito antes, Code Vein é um jogo no estilo Souls assim como tantos outros lançados por aí, mas com alguns elementos únicos que valem ser mencionados. Um desses elementos com certeza é o seu sistema de classes. Claro que você pode sair descendo a lenha em qualquer um na sua frente que cedo ou tarde você chega ao final do jogo. Mas sabendo usar cada uma das classes que o jogo oferece, com certeza a tarefa vai ser bem menos punitiva em certas ocasiões. Como seu personagem não possui um tipo específico de código sanguíneo, ele pode desempenhar com maestria qualquer uma das classes existentes no mundo do jogo. A diferença de uma classe pra outra varia desde números de HP e Stamina, como também a quantidade que você pode usar de Sangue Negro para utilizar certas habilidades especiais e até mesmo os tipos e valores de habilidades passivas. Em algumas partes do jogo é altamente recomendável uma abordagem à distância enquanto em outras você precisa ter um forte poder de ataque corpo à corpo. Em outras ocasiões a defesa vai contar muito mais do que o ataque e tem até aquelas partes onde o foco principal vai ser simplesmente curar o seu companheiro enquanto ele faz todo o trabalho sujo sozinho. Tudo vai depender da sua forma de jogar e como você pretende encarar o que o jogo vai jogar na sua frente. mas é altamente recomendável experimentar cada uma das classes em determinadas ocasiões onde o jogo possa parecer extremamente impossível.

O jogo conta com várias classes bem distintas umas das outras. É aconselhável explorá-las bem para ter vantagens dentro do jogo.

Em Code Vein você tem um parceiro que te acompanha o tempo todo. Ele ajuda à facilitar um pouco o seu fardo e esse parceiro pode ser trocado sempre que você estiver em sua base fazendo os preparativos para a próxima missão. Claro que você pode também optar por ir sozinho, o que faz a dificuldade do jogo aumentar drasticamente. O jogo também possui uma opção de jogatina online em modo cooperativo, caso você tenha aquele amigo e deseja desfrutar essa macabra aventura juntos.

Ainda falando sobre seu companheiro no jogo, é também importante dizer que a classe do mesmo pode te ajudar e muito durante as partes mais difíceis. Dependendo da sua abordagem em certas ocasiões é bom saber se é melhor levar um companheiro porradeiro ou um mais corador. Em certos casos o seu companheiro ser especialista em magia ou ataques à longa distância também é crucial. O único problema fica por conta da IA do jogo que nem sempre faz o que é preciso. Não é das piores mas ainda assim está bem longe de ser boa.

Não importa onde você vá, o seu companheiro sempre o acompanha.

Com relação ao Level Design não tem muito à se falar. No geral o jogo é bem linear bem como acontece em Dark Souls 2, onde você escolhe um caminho pré determinado e vai seguindo ele até o fim, podendo se teleportar à partir de um ponto de controle e outro. Existem sim uma parte ou outra que possui um level design bem mais trabalhado e divertido, mas não é em todos os lugares que isso acontece. Na verdade a criatividade em construir níveis aqui foi bem fraquinha. E como acontece em um jogo Souls e não pode deixar de acontecer aqui, todas as vezes que se descansa em um ponto de controle todos os inimigos ressuscitam.

Descansar nos pontos de controle sempre será necessário. Mas com isso os inimigos sempre voltam à vida. Se você pode então por que eles não poderiam?

Os monstros em geral em Code Vein também é um ponto negativo. passamos o jogo todo, certa de 30 horas ou mais, enfrentando os mesmos cinco ou seis inimigos que mudam só suas skins. E essas skins nem mudam tanto assim. O jogo é repleto de emboscadas que no começo é bem legal e te dá trabalho, mas depois que você se acostuma com elas você consegue prevê-las mesmo em locais que você nunca se aventurou, ajudando o jogo também cair na mesmice.

Os monstros inimigos são basicamente os mesmos o tempo inteiro. São os chefes que trazem um grande destaque à aventura.

Agora, se por um lado os monstros do jogo são repetitivos e com o tempo ficam chatos, os chefes merecem ser mencionados. Aqui vamos ter chefes lindos, com abordagem únicas entre um e outro e totalmente difíceis de matar. Em cada um deles é necessário ficar bem atento em seus movimentos, pois se for levar em consideração a demora que seu personagem leva para se curar, cada um de seus ataques podem ser fatais. Alguns chefes, mesmo tendo um companheiro foram tão complicados de matar que levei muito tempo para achar uma classe que melhor servia para cada ocasião. E outras eu só liguei o “Louco” mesmo e bati sem parar.

Destaque para o chefe mais difícil de toda a aventura…

Um detalhe bem interessante de se mencionar é que aqui o jogador não possui um escudo. Você simplesmente é obrigado à aprender usar esquiva com maestria. Coisa que eu nunca fiz nos jogos da franquia Souls. Mesmo jogando de mago, estava lá eu usando um escudo em uma das mãos. mas depois de Code Vein, posso afirmar que fiquei PRO em jogar a franquia Souls sem depender de um escudo para me defender. Aqui você se desliga da necessidade de portar um escudo na marra. Você até pode usar suas espadas e armas para se defender, mas sempre te custa uma certa quantidade de HP. Em alguns casos a tentativa de defesa pode ser fatal.

Sem a possibilidade de usar um escudo, o negócio aqui é ficar pró na esquiva, pegar um espadão e sentar o ferro em tudo que aparecer na sua frente.

Considerações Finais

Code Vein está muito longe de ser o melhor jogo Souls Like do mercado. Mas ele também está longa de ser o pior. Com uma boa jogabilidade, cenários legais e história bem cativante, ele vale sim ser jogado mesmo com os probleminhas que ele possui.

Ele conseguiu me segurar do começo ao fim e eu sempre queria saber o que aconteceria mais afrente. E agora que já terminei, durante uma das conclusões do jogo, (sem spoilers) eu percebi que tinha algumas coisas muito, mas muito interessantes mesmo que eu poderia ter feito para ajudar certos personagens da história. E com isso consequentemente o jogo teria um novo final. Então eu estou jogando novamente só para ver o que acontece, pois o jogo é muito bom de se jogar e tudo fica ainda melhor com a opção de Novo Jogo + sem alterar a dificuldade. Isso soa à cheirinho de vingança contra certos chefes que me fizeram penar para passar… Muáhahahahahahahaaaaa!!!.