Apresentação

Desenvolvido e publicado pela Flight Scholl Studio, Creature in the Well é um jogo totalmente criativo, possuindo um conceito jamais antes visto. Assim que entramos na aventura, tudo parece ser um normal jogo de aventura de visão aérea, assim como um Zelda ou Diablo por exemplo. Mas assim que o jogo começa vemos algo totalmente diferente e empolgante que acaba garantindo muitas horas de diversão.

O visual do jogo agrada bastante, com belos cenários cel shading de cores fortes em alto contraste.

Aqui a aventura se passa na cidade desértica de Mirage, onde muito tempo atrás apareceu uma forte tempestade de areia que nunca foi embora devido à fortes alterações de clima no planeta. Para resolver o problema, um grupo de cientistas criaram dentro de uma montanha uma máquina climática com o intuito de alterar o clima e acabar com a forte tempestade. Mas uma coisa não estava nos planos dos cientistas. No fundo da montanha existia uma criatura que estava em sono profundo e despertou, destruindo todos os robôs operários que ali trabalhavam. Muitos e muitos anos se passaram até que o BOT-C um dos antigos robôs engenheiros despertou e seguiu sua diretriz: Terminar de construir a máquina da montanha.



BOT-C, o último robô engenheiro acaba de acordar depois de incontáveis anos para seguir sua principal diretriz.

A história tem seus pontos fortes e vai sendo contada aos poucos em forma de arquivos de relatórios deixados por seus antigos companheiros robôs do passado. Parte da história também é contada pelo monstro vilão, caso você fique enchendo o saco dele na beira do poço. O legal é que o monstro possui uma personalidade forte e tem um ar todo misterioso, onde na grande maioria do tempo só conseguimos ver seus braços e seus olhos perdidos no escuro.

De dentro do poço o monstro conta parte da trama do jogo. Mas isso só se você ficar lá enchendo o saco dele pra contar.

Sistema e Jogabilidade

Creature in the Well parece um jogo comum. Mas logo que começamos vemos que ele é único. Aqui seu personagem precisa ativar umas bolas e lançá-las em engenhocas que mais se parecem um enorme jogo de pimball, afim de gerar energia para religar as máquinas da montanha que, por passarem muitos anos sem manutenção, foram todas descarregadas e desligadas.

Sua principal função como engenheiro é religar todas as máquinas da montanha.

No começo parece um jogo simples mas com o passar do tempo vemos que se trata de um jogo bem complexo, apresentando puzzles que às vezes parecem ser impossíveis de solucionar. Eu não tive muitos problemas em passar a grande maioria deles mas em algumas partes os controles não ajudam e em outras a dificuldade é extremamente alta, exigindo muita velocidade e total precisão de movimentos. Felizmente muitas delas você não é obrigado completar caso possua energia suficiente para abrir a porta seguinte.

Quanto maior a dificuldade do puzzle maior é a recompensa se solucionado com perfeição.

Mas Creature in the Well apresenta um sério problema. O jogo acaba ficando muito cansativo porque com o passar do tempo, os puzzles começam à se repetir muito dando a sensação de que você está o sempre fazendo exatamente as mesmas coisas. E tudo isso só piora quando são as salas mais difíceis que fazem com que você morra inúmeras vezes só para aumentar a sensação de repetição. E para ajudar os cenários também não possuem muitas variações além das cores, o que aumenta mais ainda a sensação de repetição.

Os chefes não mudam muito em conceito e também te dá aquela sensação de repetição.

Considerações finais

Creature in the Well tem lá seus defeitinhos de repetição e alguns problemas de controle. Mas no geral é um jogo com um visual bonito e bem agradável, mecânica divertida e possui uma boa história contada de uma forma bem interessante, embora a mesma ainda apresente uma série de pontas soltas mesmo no final do jogo.

Gostaria de agradecer ao GOG.com por fornecer a versão de PC do jogo para análise.

Gostaria de agradecer ao GOG.com por fornecer a versão de PC do jogo para análise.