Moss Destruction é um jogo Indie de tiro que tem a visão isométrica, seguindo um estilo Rogue Like, produzido e publicado pela Shotgun with Glitters.

A parte visual do jogo é bem agradável e cumpre bem a atmosfera que o mesmo tenta passar. A trilha sonora é bem nostálgica lembra bastante os jogos da era de ouro dos 16 bits. O jogo possui uma interface limpa e bem intuitiva com cores bem fortes, lembrando bastante os jogos do final da década de 80 e começo dos anos 90.



Interface limpa com cores fortes, assim como era bem comum nos jogos do final dos anos 80 pro começo dos anos 90

Sistema e Jogabilidade

A jogabilidade é simples e quase funcional. Controlamos o personagem e a mira distintamente e nessa parte a jogabilidade funciona bem. O problema aparece na hora de acertar o tiro nos inimigos. Colocamos a mira perfeitamente sobre um inimigo que está parado e o tiro passa longe do mesmo. Em muitos casos, dependendo da posição dos sprites, temos que usar a intuição para mirar e não a lógica, que seria simplesmente posicionar a mira sobre os inimigos. E pra ajudar a mira disfuncional, o jogo possui uma quantidade de munição bem limitada. É preciso pensar bem antes de sair atirando em qualquer coisa. O jogo conta com uma mecânica interessante com personagens desbloqueáveis e vários itens que afetam bastante a jogabilidade.

Itens aleatórios aparecem entre uma fase e outra. Com a escassez de munição que o jogo apresenta é sempre melhor escolher o item que garanta que você tenha como atirar

Existe também um grande arsenal de armas e cada uma delas tem suas vantagens e desvantagens durante várias situações diferentes dentro do jogo. à cada fase que se passa tem o direito de pegar itens que te ajudam na fase seguinte. E nas fases também existem lojas escondidas, onde é possível comprar vários itens que o ajudarão em sua jornada. É sempre bom escolher o item que dê mais munição.

As lojas vendem itens aleatórios. É torcer para ter o dinheiro e a sorte de aparecer o que precisamos

O jogo possui um sistema procedural na criação de fases e, sendo assim, sempre que se joga é algo novo. A ideia é achar rapidamente o portal que te leva pra fase seguinte antes que a noite caia, que é quando se concentra uma grande leva de inimigos com um único objetivo: Acabar com a sua raça.

Logo de cara o jogo apresenta uma dificuldade bem alta e com muito pouca explicação de como as coisas funcionam. Mas isso não é o problema. Como o jogo possui cenários procedurais tanto nos caminhos como nas lojas, itens da loja e armamentos que o jogo vai te presentear, o fator principal do jogo é a sorte e não sua habilidade. Com uma dificuldade absurda, se você não tiver sorte de logo de começo pegar boas armas e achar as saídas rapidamente, você vai fracassar. E não para por aí. Caso morra e não tenha um certo item bem raro para te reviver, é Game Over e você precisa jogar novamente o jogo todo desde o início.

Ao cair da noite, a quantidade de inimigos aumenta drasticamente. E novos inimigos bem fortes aparecem

Com tudo isso, depois de tanto morrer, rejogar do zero, morrer de novo e rejogar mais uma vez, o jogo acaba ficando bem cansativo e consequentemente sendo abandonado.
O jogo até possui uma qualificação positiva no Steam, mas percebe-se que a grande maioria dos jogadores não tem mais que duas horas de jogo. Com certeza desistiram depois de morrer, e morrer, e morrer mais uma vez.

Os chefes são difíceis. Mas nada comparado à dificuldade das fases quando a sorte não está ao seu lado

Considerações Finais

Moss Destruction é sim um jogo divertido. Mas se tivesse tido um capricho maior e uma produção melhor, seria sim um excelente jogo. O grande problema é que parece que o jogo foi feito às pressas, sem um bom tutorial e sem um sistema progressivo de aumento de dificuldade. Ele simplesmente já te joga na cara tudo que ele tem e isso faz ele se tornar repetitivo e cansativo em pouco tempo.