A franquia se originou em 1996 com o seu primeiro jogo conhecido com o simples nome Tomb Raider.

À princípio, dentre tantos outros jogos nesse mesmo estilo que já existiam na época, ele não passaria de mais um jogo de exploração a lá “Indiana Jones”. Mas a brilhante ideia de colocar como protagonista uma mulher “sem-pelada”, foi o suficiente pra fazer a alegria da molecada.



Lara Croft não era uma mulher comum. Era uma mulher forte, obstinada e que não media esforços para conseguir atingir seus objetivos. Isso sem mencionar que na época, com suas “curvas” e seios bem avantajados, ela era considerada uma heroína extremamente sensual.

Com “curvas” exuberantes para os padrões de 1996, Lara Croft fez a alegria da molecada. É muita sensualidade pra uma mulher só…

Tomb Raider ganhou várias sequências ao longo dos anos e com o tempo foi perdendo sua influência e importância. A Lara chegou ao fundo do poço com o lançamento do tão odiado ou mal compreendido Tomb Raider: The Angel of Darkness. Com uma história confusa e uma jogabilidade um tanto quanto disfuncional, O o jogo que tanto prometeu e nada cumpriu, fez com que a grande maioria perdesse o interesse pela franquia.

Lara Croft do tão odiado ou mal compreendido Tomb Raider: The Angel of Darkness

Após alguns anos nebulosos, a Crystal Dynamics decidiu arriscar e trazer a franquia de volta com um novo começo para a saga de Lara Croft.

O primeiro reboot se iniciou em Tomb Raider Legend em 2006 e foi um excelente jogo, seguido por Tomb Raider Anniversary em 2007, que se tratava de um tipo de remake do primeiro Tomb Raider de 1996, e Tomb Raider Underworld em 2008. Ambos jogos muito bons, mas apesar de tantas sequências e até o reboot, nunca se preocuparam em contar com detalhes o mais importante: Como tudo começou e como Lara Croft se tornou a mulher que é hoje.

Em sequência, as três versões de Lara Croft da trilogia que fez parte do primeiro reboot da franquia. Legend, Anniversary e Underworld

Foi com o segundo reboot que os desenvolvedores finalmente se preocuparam com isso.

Com o jogo Tomb Raider de 2013, finalmente soubemos como tudo aconteceu e nos surpreendemos com uma Lara Croft novata e inexperiente, passando por diversas dificuldades, superando seus medos e inseguranças e aos poucos se tornando a tão famosa Lara Croft que todos conhecemos.

A versão de 2013 de Tomb Raider mostrou ao mundo uma Lara Croft mais humana, frágil e realista

É óbvio que teriam sim como contar tudo em apenas um único jogo. Mas aproveitando o sucesso do jogo Tomb Raider de 2013, por que não maximizar os lucros nos empurrando 3 jogos ao invés de 1? Sendo assim nasce uma nova trilogia na franquia.

Sua sequência, Rise of the Tomb Raider lançado em 2015 foi um excelente jogo, conseguindo aprimorar e melhorar tudo que havia em seu antecessor. Com isso, criar um jogo que servisse de desfecho para dois jogos tão excelentes, seria uma missão muito difícil.

Lara Croft em Rise of the Tomb Raider. O jogo que pra muitos é o melhor de toda a franquia

Sistema e Jogabilidade

Depois de um bom tempo de desenvolvimento e muitas expectativas, finalmente chega o tão aguardado Shadow of the Tomb Raider.

À princípio, logo em sua introdução já é visível o upgrade que o jogo recebeu em seus belos gráficos, fazendo desse o mais bonito dessa nova trilogia. O visual da selva amazônica é, até agora, o mais perfeito e mais bem representado em um jogo de vídeo game que eu já vi. Com matas densas, animais característicos da selva e muitas criaturas místicas baseado nos folclores locais. Os modelos da Lara e Jonah foram completamente refeitos, assim como todos os assets e texturas de todo o jogo. Tudo foi feito do zero e nada foi reaproveitado, mostrando ainda mais a dedicação da equipe em trazer algo totalmente novo.

O visual da selva, com toda a sua fauna e flora é de impressionar

Com relação às mecânicas de jogo, Shadow consegue manter a qualidade dos anteriores e melhorar em alguns aspectos, trazendo de volta algumas mecânicas deixadas de lado em Rise, introduzindo novas mecânicas e também outros detalhes bem característicos da franquia, como por exemplo o nado livre, sendo possível nessa versão explorar locais submersos, trazendo assim muito mais imersão ao jogo.

O nado livre está de volta trazendo muito mais imersão e exploração ao jogo

E falando em imersão, agora existem também pequenos povoados, onde você conversa com pessoas que não só te passam as histórias e acontecimentos locais, como também te vendem equipamentos, itens importantes e várias quests secundárias que ajudam à enriquecer o jogo.

Os personagens secundários também ganharam maior participação nos acontecimentos da história e, em muitos casos, até dando um suporte real para Lara nas partes mais difíceis dentro do enredo do jogo. O vilão da trama também é um tipo de pessoa bem diferente do que geralmente estamos acostumados à ver nas aventuras da Lara.

Muitos dos itens importantes do jogo agora são adquiridos através de lojistas nos pequenos povoados

Outra mudança é que os jogos anteriores dessa nova trilogia estavam bem mais focados nos combates do que na exploração e enigmas. Já em Shadow está tudo bem balanceado.  Temos muitas partes com combates frenéticos e também exploração de tumbas e áreas do mapa, que agora está bem maior. Vale lembrar que tanto os combates quanto as tumbas e exploração do jogo foram melhorados, com várias habilidades, um arsenal mais diversificado e quebra-cabeças bem mais bem trabalhados.

A IA (Inteligência Artificial) dos inimigos também foi melhorada. Não está perfeita mas os inimigos agem de forma mais natural em situações de combate, fazendo com que o jogador tenha uma experiência superior aos jogos anteriores.

A árvore de habilidades é basicamente a mesma, possuindo algumas habilidades novas e uma interface extremamente melhorada, onde o jogador consegue ver em uma única aba, todas as habilidades de todas os três caminhos que o jogador pode seguir, tornando assim muito mais fácil e intuitivo o ato de mesclar habilidades, construindo o personagem de acordo com sua forma de jogar. E vale lembrar também que várias das habilidades só podem ser adquiridas ao desvendar certas tumbas que estão bem escondidas ao redor de todo o mapa do jogo.

A árvore de habilidades agora está muito mais intuitiva, mostrando em uma única aba todos os três caminhos de progressão

O jogo nos dá uma gama enorme de habilidades, que proporciona muita liberdade na exploração e até nos combates do jogo. Mas nem tudo é perfeito. Em várias partes, onde sabemos que podemos fazer determinada ação, o jogo não permite simplesmente por que ele não nos quer ali. Lugares onde seria possível nadar e naquele momento você não pode, Outros locais a sua corda de rapel que é bem comprida estende-se bem menos que o de costume, ou a Lara morrendo de queda alta ao cair em um buraco de dois metros de profundidade. São várias pequenas falhas no level design que o time poderia sim ter tido um maior cuidado em seu desenvolvimento.

Alguns acontecimentos da história também poderiam ter sido feitos com um pouco mais de capricho e cuidado. Não vou mencionar para não dar spoilers, mas são fatores bem importantes na história, que você desacredita o quão preguiçoso o time de desenvolvimento foi ao executar o decorrer de tais acontecimentos.

Considerações Finais

Eu demorei um pouco para me aventurar em Shadow of the Tomb Raider, simplesmente por conta de vários reviews e conhecidos dizendo que o jogo estava cheio de problemas, que era apenas mais do mesmo e até disseram se tratar de um jogo fraco e bem inferior à seus antecessores. Mas não consegui resistir, e como um bom fã da franquia, acabei me aventurando mais uma vez nesse maravilhoso universo e não me arrependo.

Achei a história bem interessante e fiquei apaixonado por seu visual, tumbas bem elaboradas e vários outros detalhes que não posso dizer aqui para não dar spoilers.

Shadow of the Tomb Raider não é perfeito. Mas ele conseguiu refinar ainda mais o que já estava muito bom. Com vários locais e tumbas para se explorar, e um combate bem trabalhado e distribuído na medida certa. Caso você tenha gostado dos jogos anteriores, esse com certeza vai te agradar, e muito.