Apresentação

A saga Resident Evil surgiu em 1996 no console Playstation da SONY. Produzida por Shinji Mikami e publicado pela CAPCOM, conquistou milhares de jogadores, e hoje possui uma legião fiel de fãs no mundo todo. Originalmente criada para ser uma franquia de jogos de Horror de Sobrevivência (Survival Horror), é fato que com o passar do tempo, e com a popularização dos jogos de ação, a franquia perdeu sua identidade de Horror, seguindo as tendências do mercado, se transformando praticamente em uma franquia de ação com poucos elementos de suspense e terror. Muitos dos fãs gostaram do rumo que a franquia seguiu mas a grande maioria ansiava pelo seu retorno triunfal às suas origens.

A Versão Remake

Com muitos acertos e erros, a CAPCOM foi aprendendo a lição e recentemente nos presenteou com o que pode se chamar de o maior remake de todos os tempos. Resident Evil 2 Remake. Com um sistema de câmera baseada em Resident Evil 4, o jogo ganhou uma atmosfera totalmente imersiva, aumentando ainda mais todo o suspense e adrenalina que a versão original de 1998 já possuía. Lembrando que com a nova câmera, veio também novos elementos na jogabilidade. Tais como escolher quais partes dos zumbis e monstros você pode acertar para uma melhor estratégia ou dano agravado, o uso de armas secundárias para impedir certos ataques de qualquer tipo de criatura e até mesmo os chefes, e também a possibilidade de usar certos objetos dos cenários em seu favor.


O nível de qualidade dos detalhes dos personagens e monstros, incluindo os zumbis é incrível.

Os Puzzles originais estão todos presentes e alguns com certas modificações. Existem também várias salas com novos quebra-cabeças e o level design do jogo está impecável. O mapa do jogo também ganhou melhorias. Agora é possível saber não só onde você passou, mas também quais chaves são necessárias para abrir cada porta trancada, informações sobre eventos ou objetivos ainda disponíveis em cada sala e quais itens você deixou para trás, sem precisar ficar fazendo anotações em um caderninho. (Sim, nos tempos da versão original de 1998 eu fiz isso). Os cenários são um show à parte. Tudo que existia no jogo anterior foi recriado e melhorado com uma riqueza de detalhes incrível. O cuidado da equipe foi tão minucioso, que só de olhar os detalhes de cada sala como os corpos, mobílias e tudo mais ali presente, se tem uma perfeita noção de tudo o que aconteceu, e como o povo de Raccoon City sofreu com a tragédia ocorrida com toda a infecção causada pelo Vírus T.

Ao entrar na delegacia já bate aquele sentimento de nostalgia.

Vale lembrar que o jogo roda muito bem em qualquer console e também está muito bem otimizado nos PCs. Existem alguns bugs visuais em ambas versões que são causadas por certas deficiências com a RE Engine. Uma das mais perceptíveis é um borrão que fica em volto ao personagem protagonista nos efeitos de reflexos em pisos e água. Dependendo do nível do HDR e Contraste do seu monitor ou aparelho de TV, esses borrões ficam bem evidentes ou quase nulos. Outra falha visual acontece com relação às partes escuras do jogo. Por algum motivo ele não consegue manter um escuro total. Existe também uma pequena falha de iluminação na transição de algumas salas que possuem um efeito de luz totalmente diferente. São falhas bem sutis que passarão despercebidas pela grande maioria dos jogadores. Mas para os mais detalhistas elas estão ali. São todos defeitinhos bem minimalistas que não estragam a experiência de jogo, e que com certeza a CAPCOM pode resolver com pequenos patches de correções.

À esquerda você repara em volta da Claire o clarão que acontece com o bug de reflexo da RE Engine, e à direita o efeito de reflexo desligado (Versão PC).

Considerações Finais

Resident Evil 2 Remake não só é um excelente jogo de Survival Horror, como também é com certeza o melhor no estilo dos últimos tempos. E muitos dirão ser o melhor de todos os tempos. O jogo está completo com direito à tudo que deveria se ter. Todos os modos de jogo da versão original estão presentes. Temos as campanhas Leon A e B e também Claire A e B, o quanto sobrevivente Hunk e o modo Tofu. Os modos de dificuldade variam bastante e oferecem desafio na medida certa tanto pra jogadores mais casuais como para jogadores mais hardcore, que adoram ver o cão chupando manga em jogos de terror. E não acaba por aí. A CAPCOM já se pronunciou à respeito de futuras DLCs. Aí você já se pergunta: E vamos nós de novo gastar com DLCs? Mais uma vez vou comprar um jogo pela metade e ter que pagar pelo resto do mesmo? A resposta para essas perguntas é “NÃO”. O jogo base está mais que completo e vai sim possuir uma DLC chamada “The Ghost Survivors”, que consiste na história de mais 3 outros sobreviventes da tragédia de Raccoon City. São eles um dono de uma loja de armas, a filha do prefeito e um soldado veterano. E o melhor de tudo: Essa DLC será totalmente gratuita. O lançamento dessa DLC está prevista para o dia 15 de fevereiro de 2019.

Imagem divulgada das DLCs relacionada aos três sobreviventes da tragédia de Raccoon City.

A CAPCOM vem fazendo um excelente trabalho nesse final de geração e não só está mostrando serviço, mas também dando um belo exemplo de como se faz para agradar seus seguidores e fãs não só entregando jogos de qualidade, mas também valorizando nós consumidores com sua mais recente política de negócios. Com uma dificuldade elevada, munições limitadas, monstros tenebrosos,  bastante suspense, muita adrenalina, e tudo isso somando um visual lindo de matar, Resident Evil 2 Remake é com certeza um prato cheio para todos os amantes de jogos de terror.