Seja um rockstar pelo bem das suas filhas

Quem diria que horas de terapia adolescente poderiam ser preenchidas com Mario Kart ou Guitar Hero? É uma das interpretações que se pode ter de um novo estudo, divulgado neste mês, relacionando felicidade, saúde e entrosamento com partidas multiplayer entre pais e filhas.

Pesquisadoras norte-americanas avaliaram 287 famílias com filhos de 11 a 16 anos. Todas foram questionadas sobre comportamento, performance escolar e uso de videogames dos adolescentes.



Das garotas pesquisadas, 46% não jogavam com seus pais de forma alguma. As que jogavam (em média, uma vez por mês) e escolhiam títulos próprios à idade (como Mario Kart, Guitar Hero e Wii Sports) eram as mais comportadas, menos agressivas, mais ligadas à família e menos propensas à depressão.

Um dado curioso é que, para os garotos, não pareceu fazer muita diferença jogar com os pais ou não. Segundo uma das cientistas, as horas excessivas como single player diluem o efeito do jogo em família.

E você, leitor, acha que há uma relação de causa e efeito entre as partidas familiares e o bem-estar das adolescentes? Ou acha um exagero essa interpretação? Comente!