Os anos de 2009~2010 foram, estão sendo, e incluindo os meses que ainda virão, farão parte de um nova era de ouro do mercado de jogos eletrônicos.

Presenciamos desenvolvimentos magníficos como Batman: Arkham Asylum e Uncharted 2, jogos que custaram e venderam mais que filmes de Hollywood como Call of Duty: Modern Warfare 2, jogos casuais que marcaram uma nova era como World of Goo, e que recriaram o que era antigo como uma obra de arte, como Shatter.

Tivemos cópias descaradas que ficaram magnificamente mais interessantes que as versões originais, como Trine, que copiou o jogo The Lost Vikings, e Torchlight, que copiou o jogo Diablo II.

Tivemos algumas espectativas parcialmente atendidas, como F.E.A.R. 2 e o novo Alien vs. Predator, mas em compensação tivemos títulos que fizeram juz ao nome que carregava e surpreenderam a todos, como Assassin’s Creed II e BioShock 2.

Jogos que ainda prometem marcar o ano como o cartoon shooter em 3ª pessoa Lead and Gold, a reaparição animada da Team17 com o Worms Reloaded, e a reinvenção da plataforma RTS com o R.U.S.E. já marcaram a história antes de serem lançados. Será lançado ainda este ano também uma revolução gráfica nos MMORPGs AION e World of Warcraft, incluindo novas expansões. E falando em consoles, não podemos deixar de lado os excelentes trabalhos em Heavy Rain, Demon’s Souls, God of War III, Super Mario Bros. Wii, Dante’s Inferno e Final Fantasy XIII.

Pudemos notar que houve um lack na criatividade de títulos AAA e alguns ficaram extremamente parecidos quanto a sua jogabilidade, é o caso do trio Dante’s Inferno, Darksiders e God of War III. Talvez a demora para este último ser lançado tenha instigado os outros a apresentarem uma experiência de jogo muito similar. Porém, isso não é uma crítica de fato, os 3 jogos ficaram ótimos.

O mercado percebeu finalmente que é melhor aprimorar um console atual que substituí-lo por uma nova geração a cada 3 anos, só faltou a Eletronic Arts largar mão da sua “síndrome de “EA” para tudo ficar perfeito. =)

Até em relação aos odiados DRMs, o cenário melhorou um pouco. A Ubisoft desenvolveu um sistema de DRM para os novos títulos de PC que lhe permite fazer quantas instalações quiser do jogo, obrigando somente que você tenha uma conexão de internet ativa, em compensação, os seu progresso fica opcionalmente salvo no servidor do DRM ao invés de ficar só no computador. O interessante é que este é o primeiro DRM da história não quebrado nos primeiros 30 dias de existência! A Eletronic Arts já copiou esta idéia e está aplicando em alguns de seus novos jogos também, e ainda falando sobre a Eletronic Arts, eles resolveram confiar na plataforma Steam e removeram o DRM SecuROM do jogo Battlefield: Bad Company 2 que é distribuido por esta plataforma.

Uma lembrança esperançosa também para a reinvenção do jogo em modo plataforma do Sonic The Hedgehog 4: Episode 1, que será lançado ainda em 2010, e uma homenagem especial para o flashgame de sucesso mais controverso e viciante do Adult Swim, Robot Unicorn Attack.

Aproveitem esta era, pois não é sempre que anos dourados como os de 1985 e 1996 se repetem.