The Legend of Zelda: Breath of the Wild (WiiU) – Review

Se você sempre sonhou com um mundo massivo, que você pudesse explorar qualquer lugar; com a progressão da história não linear, onde você conseguiria chegar a diversas soluções para resolver o mesmo puzzle, e que fosse desafiador; seja bem vindo(a)!

Enredo

O jogo é protagonizado por uma das encarnações do Herói Link, porém se passa 100 anos após o seu nascimento.

O mundo sofreu um ataque terrível de um ser conhecido como Calamity Ganon, e devido a eventos que aconteceram nesse período, Link foi colocado em uma câmara, onde ficou por todo esse tempo.

Agora é o momento do Herói se levantar e enfrentar essa calamidade devidamente preparado. (revelar mais do que isso, seria spoiler)

Jogabilidade

Intuitiva e auto explicativa, com controles de resposta precisa, fluída e rápida.

O jogo consegue te trazer toda a emoção de uma batalha, assim como o prazer de explorar diversas regiões.

Você consegue chegar a qualquer lugar e de diversas formas, sendo sua criatividade a única barreira.

Apesar das criaturas não terem um aspecto amedrontador, não as subestime. Um Bokoblin pode se tornar letal, se estiver montado em um cavalo, ou estiver em grandes grupos. Qualquer erro em um combate, pode significar sua morte.

As criaturas mais perigosas são os Lynels, agressivos e poderosos, com capacidade de combate de perto e a distância.

O equipamento possui durabilidade, e esse sistema é ótimo, pois te incentiva a pensar na estratégia de combate, para evitar a perda de armas e escudos, assim como te possibilita o uso de diversos tipos de armas.

Existe uma infinidade de itens e elementos no jogo, que você pode interagir e utilizá-los de diversas formas. Todos os itens tem uma função específica.

Por exemplo, se você lutar contra um inimigo utilizando uma proteção metálica, isso pode ser utilizado a seu favor, aplicando a eletricidade no combate; ou se a proteção for de madeira, ela pode ser incendiada.

Breath of the Wild também possui personagens com atuação de voz, porém nosso herói continua com sua voz inaudível, e expressões linguísticas ocultas. Acredito que a Nintendo tomou essa decisão para cada jogador formar sua personalidade sobre o Link.

Claro que o jogo não é perfeito, e possui pontos falhos, como: o fato de Link nadar apenas na superfície das águas, ou seja, não existe exploração aquática. Não tenho ideia se isso será corrigido em alguma DLC.

Outro ponto prejudicado por toda essa liberdade, é a história, que aparece de forma fragmentada e perdida, perdendo um pouco do seu impacto.

Gráfico

Gráficos descentes para o console, com paisagens incríveis e únicas. Os cenários de Breath of The Wild não se repetem.

Porém em momentos pontuais, o WiiU apresenta a lentidão de frames do jogo; porém esses raros eventos não atrapalham a experiência.

Música

Música muito bonita, ela combina perfeitamente com cada momento do jogo.

Apesar da qualidade da música ter melhorado muito em Breath of the Wild, ainda faltam músicas épicas por parte da Nintendo em seus jogos.

Veredicto

Um jogo maravilhoso, completo em diversos sentidos. Simplesmente é um dos melhores jogos da atualidade!

Mais do que recomendado, considero The Legend of Zelda: Breath of the Wild um jogo necessário para a vida de qualquer gamer!

Daniel C. Buganza

Daniel C. Buganza

Apaixonado por games, especialmente pela série The Legend of Zelda! Um dos meus hobbies é pensar em formas de equilibrar a humanidade!

Você pode gostar...