Nos dias 3 a 6 de fevereiro aconteceu o Closed Beta de Ghost Recon Wildlands, onde a Ubisoft nos  apresentou o mapa de Itacua, na Bolívia, e, como membros dos Ghosts, nossa missão era derrubar os chefes do cartel Santa Blanca.

E no último dia 16, foi liberado um curta sobre, o War Within the Cartel.



Ganhei uma chave pra testar o jogo, porém, como eu não manjo nada de Tom Clancy, pedi pra meu amigo, Digão, testar e me passar quais foram suas impressões.

Ele me disse que gostou bastante do jogo, ele tem uma combinação de elementos de outros jogos que são interessantes, que lembra o The Division, não na mecânica, mas o jogo em si.

Ele tem um sistema de habilidades legais, que também lembram o The Division, onde você precisa pegar recursos, como suprimentos médicos, munições, suprimentos eletrônicos, etc, e cada categoria aumenta um tipo específico de habilidade, o que também lembra o Farcry, onde você ajuda a facção a retomar o controle do local, portanto, tem várias missões, precisa liberar soldados aliados, ou receber algum tipo de ajuda.

Você pode optar em entrar nas missões na linha de frente ou em stealth, que é onde entram as habilidades dos soldados dos bots ou players, que podem ser até 4.

Geralmente nessas missões, você precisa recuperar recursos, interrogar algum capitão de cartel, e nesses lugares, você encontrará caixas, que podem conter armas ou aprimoramentos para elas, ou itens para melhorar suas habilidades.

A parte que mais interessou foram os veículos, os helicópteros são muito úteis para o deslocamento, mas atirar com ele é um pouco complicado, os carros e as motos são mais fáceis de dirigir.

Os cenários são bem imersivos, e captam a essência da história do jogo.

O jogo é em terceira pessoa, e na hora de mirar, vira primeira pessoa, e isso é bem legal.

Quantos aos bugs, nada que atrapalhe a jogatina, ou faça com que desanime de alguma forma.

O jogo será lançado dia 17 de março, e acreditamos que ele tem um grande potencial!

Disponível para PC, Xbox One e Playstation 4!