Esta semana a Bandai-Namco lançou Tales of Symphonia na Steam. Esse é um jogo que já teve diversos outros lançamentos de portabilidades anteriormente: o lançamento para PS3, no qual essa portabilidade se baseia, já era uma portabilidade do PS2 e em alguns aspectos já era inferior ao jogo original do console Gamecube. Assim, ninguém realmente esperava algo mais do que um caso de apenas uma representação do jogo do PS3 num novo console com os mesmos ativos, limitações taxa de quadros por segundo e recursos.

No entanto, o jogo acabou vindo com vários problemas e acabou chateando muitos fãs da série, sendo as críticas mais comuns:

  • o jogo em si não consegue passar de 30 fps embora alguns possam rodar a 40 (o qual já possuía bem mais nas versões anteriores);
  • controles para mouse e teclado deixando a desejar;
  • trancar a resolução de renderização 3D;
  • lugares parcialmente ou completamente quebradas ao entrar em pontos ou certas animações;
  • crashs e erros frequentes ao dar Alt-Tab;
  • e tempos de carregamento fora dos limites;
  • bugs aparecerem nos textos de traduções devido utilizarem a fonte/extensão errada;
  • diversos erros nos textos que não tinham no original;
  • botões do PS3 ainda aparecem em alguns menus.

Mas a crítica mais severa foi de um jogador que entende de processo de mods e/ou desenvolvimento de jogos, é o fato da maioria desses erros/opções presentes no jogo, terem soluções fáceis e rápidas, onde ele afirma corrigir a resolução de renderização em apenas 14 minutos. Você pode acompanhar a discussão e a lista completa aqui.